Filho do Leão


O Leão, a Bagunça e o Guarda-roupa
 
Aslan, guarda-roupa bagunçado, Lucy descobrindo o guarda-roupa que leva a Nárnia.

Aslan, guarda-roupa bagunçado, Lucy descobrindo o guarda-roupa que leva a Nárnia.

Sabe aquele dia quando você procura aquela blusa que você nunca mais usou? Tudo o que você sabe sobre o paradeiro dela é que não está no cesto de roupas sujas, não está no varal, junto com as roupas lavadas recentemente, a única possibilidade restante passa a ser o seu guarda-roupa. Mas onde? Com os dias passando, a pressa para sair, a falta de tempo de pôr tudo em ordem as roupas parecem ser um ser estranho que se apossou daquele espaço do seu quarto.

E a solução para, enfim, encontrar aquela blusa (e o resto das roupas perdias e esquecidas)? Pôr tudo fora, fazer mais bagunça e arrumar tudo depois.

Pois bem, parece que é isso que Deus faz com a gente. A nossa vida vai passando. E nós vamos deixando as coisas se acumularem num dos cantos que pareçam mais “apropriados”. Mas um dia você diz, novamente, que quer sua vida do jeito que Deus determinar. E adivinha só o que acontece com a sua vida? Mais bagunça! As coisas saem do lugar (às vezes você literalmente muda de endereço, foi isso que aconteceu comigo da última vez). A impressão que se tem é uma total falta de controle e de ordem, mas é isso mesmo. O controle, que deve estar nas mãos do Todo Poderoso, passou um tempo nas nossas mãos, criaturas com uma incrível e ridícula tendência de tentar manter as rédias das situações. Tão enganados somos nós quando pensamos assim.

Isso me lembra a conhecida história de quando Deus mandou que o profeta Jeremias fosse à casa do oleiro, para observar a relação entre o oleiro e o vaso de barro produzido por ele. Jeremias notou que o oleiro desfazia e tornava a fazer o vaso quando algo não estava como ele gostaria. (Jeremias 18:1-6)

Mais uma vez O Leão da Tribo de Judá me fala sobre fazer uma bagunça no meu guarda-roupa, para enfim, com tudo em ordem, poder encontrar comigo, aquilo que Ele me deu em tempos passados, imagino eu, e poder depositar algo mais dos seus valiosos tesouros. Tesouros que Ele dá a conhecer àqueles chamados pelo seu nome: povo de Deus.

Por enquanto, estou à espera dessa arrumação que só esse Leão pode fazer em meu guarda-roupa.

 

Jesus na vida, galera! 

C. H. Leonel