Filho do Leão


Morte e Vida Juntos.
14 julho, 2008, 3:27 pm
Filed under: Vida cristã | Tags: , , ,

E num dia comum, ou quase isso… num passeio com amigos novos para um sítio do amigo de um amigo[repare bem na proximidade que eu tinha com os donos =P] … Me deparo, então, com essa imagem que me chamou tanto a atenção!

Percebi: Uma árvore morta no meio da barragem???
E logo comecei a pensar e a entender isso de uma forma a aplicar de um jeito mais espiritual. E pensei por dias nessa árvore e na morte, num lugar onde só deveria haver vida, e onde há , de fato, tanta vida ao redor! Comecei a pensar em como estamos [e, às vezes, fazemos questão de permanecer] assim: sem vida no meio da vida!

Tantas vezes estamos no meio da igreja [corpo de Cristo, não o prédio] onde há muita vida, onde tantos ao redor estão encontrando ,finalmente, uma vida que faça sentido, onde a nossa volta as pessoas transpiram vida, mas nós…tão distantes de tudo isso! Onde está nossa vida? Como assim ela se foi? Tempos atrás tínhamos tanto dela! Éramos até doadores dela! Mas agora…há tanta água ao nosso redor…estamos mergulhados nela e ainda assim tudo o que temos é sequidão dentro de nós.

O ambiente determina o que há em nós? Não creio nisso! Nós determinamos o que realmente entra por nossas raízes!
O ambiente influencia? Sem dúvida!
É mais fácil ter vida onde ela é facilmente encontrada? Sim! Mas não é incomum, como parece, não tê-la em nós, mesmo estando tão próximos dela!

Pensando nessa árvore lembrei de uma música antiga de VOICES [eu acho] , mas o refrão dizia: “Perdido na casa do Pai”. E como definir uma frase como essa numa imagem meio metafórica? Deus o fez em mim quando vi essa imagem da tal árvore!

Lembrei-me de mim mesmo…lembrei de pessoas próximas a mim…e pessoas que já não estão tão próximas assim!
Pessoas que estavam ali conosco onde havia tanta vida, onde está o próprio Autor da Vida, mas escolheram mal o que entraria por suas raízes e morreram num lugar de ressurreição e se perderam na casa do Pai e deixaram de se sentir filhos e se foram… e penso que alguns podem estar conosco ainda…ainda…Mas estão morrendo e sequer percebemos!!! Como eu me senti assim, morri apesar de estar tão próximo à fonte de Vida…morri!

Mas a graça de Deus parece ser incansácel e me alcançou de novo…e posso viver e doar dessa vida a outros de novo. Mas a cada dia tenho que continuar escolhendo sugar da seiva da vida e não da morte. E creiam-me, a seiva da morte é bem mais fácil de ser sugada, porque todo o sistema do mundo te faz estar voltado, inclinado, direcionado à morte e não à vida.

Por aqueles que estão morrendo ou já morreram, choro e clamo para haver ressurreição para eles assim como houve para mim!

Jesus na vida!

C.H. Leonel
[P.S.: Sim, vou assinar assim agora…e sim, é pra parecer com  C. S. Lewis! hehehe]

Anúncios


Ventos…
6 julho, 2008, 5:27 am
Filed under: Intimista | Tags: , , , , ,

Começando o blog com um post um tanto quanto intimista…

A vida é basicamente um monte de mudanças pelas quais a gente passa e tenta se organizar com e apesar delas. Eu estou numa delas…ou numas delas…tanta coisa que às vezes parece que não é sua vida, parece que você perdeu o controle! E…Aaahh, como a gente gosta de ter o controle do futuro! Mas o futuro realmente pertence a Deus…e mais ainda de cristãos [meu caso]!

Sempre declaro em minhas orações que dou o controle de minha vida a Deus, mas esses dias eu percebi que não é tão fácil dar esse controle depois que se tem tudo esquematizado, cada detalhe já foi pensado e pesado naquela balancinha dos prós e contras. E de repente, não mais que de repente o seu castelo de areia é desfeito pela onda…ah, mas você tinha feito até detalhes do telhado e aquela torre alta já tinha uma linda bandeira que balançava com o vento. Mas a onda, a implacével onda da vontade de Deus mostra que se você confiou o seu destino a Ele, vai precisar continuar confiando quando o próximo passo parece ser dado numa areia movediça em que problemas parecem te engolir e não importa se você se mexe ou fica parado, você continua descendo lentamente e sem esperança de achar um chão firme. A única esperança é gritar por ajuda! E é isso que tenho aprendido…não há forças em mim! A quem podeira recorrer senão a Deus? A qual mão eu deveria pedir que me sustente senão a mão que sustenta o mundo?

E hoje recebo mais uma palavra da parte de Deus: “Os ventos ainda vão continuar…” Quais ventos? Os da tempestade! É…são muitas as anologias para os problemas. Mas para cada uma delas temos a opção de recorrer ao “socorro bem presente na angústia”[Sl 46:1] e continuar crendo enquanto nada muda e parece que Ele está parado.

No meio de tudo isso já me perguntei: “E qual é o sentido de tudo, afinal???” E um amigo, usado por Deus, responde: “Porque os que dantes conheceu também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho, a fim de que ele seja o primogênito entre muitos irmãos. ” [Rm 8:29]

Tudo, afinal, é para ficarmos mais parecidos com o próprio Jesus, o irmão mais velho!

Confiar em Deus e adorá-lo em meio a tudo!

Música de uma banda que conheci há bem pouco tempo, mas se encaixou no meu estágio de vida. Claro que tem aquela[praise You in this storm] de Casting Crowns, né, Ci? 😉

Música: Beatiful Lord
Banda: Leeland

When the storm is raging all around me
You are the peace that calms
My troubled sea
And when the cares of this world
Darken my day
You are the light that shines
And shows me the way

Oh, the beauty of Your majesty
On the cross You showed Your love for me!

Beautiful Lord
Awesome and mighty
I’m captured by this love I see
Beautiful Lord
Tender and holy
Your mercy brings me to my knees
It’s Your mercy that has made me free
Beautiful Lord

When my sin is all that I can see
Your grace remains the shelter that I seek
And when my weakness is all I can give
Your gentle Spirit gives me strength again

And oh, the beauty of Your majesty
On the cross You showed Your love for me

And I am lifted by Your love to sing!
It’s Your mercy that has made me free!

You’re beautiful, my Lord
You’re beautiful, my Lord

TRADUÇÃO

Quando a tempestade se enfurece ao meu redor
Tu és a paz que acalma
Meu mar disturbado
E quando os cuidados do mundo
Escurecem meu dia
Tu és a luz que brilha
E mostra-me o caminho

Oh, a beleza de tua majestade
Na cruz tu mostraste teu amor por mim!

Belo senhor
Tremendo e poderoso
Estou apegado a este amor, eu vejo
Belo senhor
Carinhoso e santo
Sua misericórdia traz-me para ficar de joelhos
É tua misericórdia que me fez livre
Belo senhor

Quando meu pecado é tudo que eu consigo ver
Tua graça matém o abrigo que eu procuro
E quando minha fraqueza é tudo que eu posso dar
Teu gentil espírito me dá força outra vez
E oh, a beleza da tua majestade
Na cruz tu mostraste teu amor por mim!

E eu sou levado pelo teu amor a cantar!
É tua misericórdia que me fez livre!

Tu és belo, meu senhor
Tu és belo, meu senhor